A pesquisa XP/Ipespe divulgada nesta sexta-feira (11) mostra que a avaliação negativa (ruim/péssima) do governo Jair Bolsonaro atingiu 50%, um ponto percentual acima do registrado na sondagem anterior, realizada em maio. A avaliação positiva (ótimo/bom), por sua vez, caiu três pontos e agora é de 26%. E a avaliação regular passou de 20% para 22%. As oscilações estão dentro da margem de erro de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos.
Foto: Marcos Corrêa/PR

Parlamentares da oposição enviaram uma representação ao Tribunal de Contas da União (TCU) pedindo a abertura de investigação sobre um suposto esquema montado pelo presidente Jair Bolsonaro para aumentar sua base de apoio no Congresso utilizando um orçamento paralelo de R$ 3 bilhões, operado de forma sigilosa até mesmo dos órgãos de controle. O esquema foi relevado por reportagem do jornal O Estado de S.Paulo.

De acordo com o documento assinado por Marcelo Ribeiro Freixo (PSOL/RJ), líder da minoria da Câmara dos Deputados, o esquema montado no final do ano passado destinava parte da verba para a compra de tratores com preços até 259% acima dos valores de referência.

Além disso, o governo também concordou em comprar máquinas por R$ 500 mil, quando pelo preço de referência sairiam por R$ 200 mil. “É um absurdo que o Governo Federal siga patrocinando seus aliados, incluídos antigos e atuais presidentes das casas parlamentares, para manejo de interesses particulares com evidente desvio de finalidade e superfaturamento”, disse o texto.

O documento aponta, ainda, que é inadmissível que no momento atual vivido pelo Brasil, em que milhares de pessoas estão morrendo por causa da covid-19, o Governo Federal gaste milhões na aquisição de equipamentos agrícolas de forma superfaturada. “Bem como com evidente desvio de finalidade ao utilizar um orçamento paralelo para manutenção e apoio parlamentar”, completou.