A mais de um ano da eleição de 2022, o Partido dos Trabalhadores (PT) já tenta pavimentar seu caminho ao Planalto. O ex-presidente Lula, por exemplo, está em Brasília para formar alianças visando o próximo pleito presidencial. Segundo o deputado Bohn Gass, líder do PT na Câmara, Lula não está na capital para conversar com o centro, mas com lideranças políticas contrárias ao atual governo Jair Bolsonaro. “O centro hoje, em geral, é alinhado com Bolsonaro. Claro, isso não é imutável, mas, atualmente, esse é o panorama”, afirmou à Arko Advice nesta quarta-feira (5). 

“Lula está observando o desgaste de parte do centro que estava conversando com Bolsonaro, mas que, hoje, o opõe. A CPI da covid, por exemplo, é um retrato disso. O ex-presidente está disposto a conversar com inúmeras lideranças que fazem oposição ao atual líder”, disse. Questionado se Gilberto Kassab, ex-prefeito de São Paulo e atual presidente do Partido Social Democrático (PSD), seria uma opção de aliança, Bohn Gass respondeu: “Sim, porque não? A esquerda precisa se planejar”. 

Gass afirmou que, antes de buscar acordos com políticos de centro, a esquerda tem de se unir. Em sua visão, o presidenciável Ciro Gomes, por exemplo, tende a perder apoio do próprio partido, Partido Democrático Trabalhista (PDT), com o fortalecimento da candidatura de Lula. “A base eleitoral do PDT deve apoiar Lula na última hora. É inegável que ele é o maior, e mais preparado, líder da esquerda para enfrentar o atual presidente”. 

Questionado se iria concorrer à reeleição, Bohn Gass foi rápido na resposta. “Preciso responder isso mesmo? Rs. Bom, os planos atuais são para que eu continue na Câmara dos Deputados”, disse. 

Procurado, o PDT afirmou que segue firme na disputa pela presidência da República com Ciro Gomes – e que não há chance de Ciro se alinhar com Lula nos momentos finais da disputa. “Zero! Teremos candidatura própria e a única alternativa contra a mentira do passado e a tragédia do presente. Lula é um passado que não cabe mais no Brasil. O PDT está fechado com Ciro Gomes”, afirmou a assessoria à Arko.