Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. Foto: Alan Santos/PR

De acordo com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, Plano Nacional de Imunização (PNI) é suficiente para garantir que todos os brasileiros recebam as duas doses do imunizante contra a covid-19, por isso, na avaliação dele, não há necessidade de autorizar a compra por empresas privadas.

“Minha posição pessoal e também como ministro é de que o PNI, contanto que tenhamos doses suficientes, tem condições de levar vacina para toda a população brasileira. Agora, se os parlamentares entenderem que devem dispor de forma diferente, por meio de lei, nós temos que cumprir e o Ministério da Saúde obedecerá”, disse Queiroga nesta segunda-feira (26) ao ser questionado sobre o projeto de lei que permite que entidades privadas comprem vacinas contra a covid-19 para aplicar em seus colaboradores.

O PL 948/2021 foi aprovado na Câmara no começo de abril e aguarda avaliação do Senado. Apelidado de “fura-fila” pelos senadores, o projeto enfrenta dificuldades no Senado, não tendo ainda uma data para ser votado.

Atualmente, a lei prevê que, enquanto os grupos prioritários não forem totalmente vacinados, as empresas que comprarem imunizantes precisam doar 100% das doses para o SUS. Assim que a meta for atingida, as empresas poderão manter 50% para seus funcionários. O novo projeto permitiria que as empresas comprassem e aplicassem as vacinas nos funcionários imediatamente.