Divulgação

A Polícia Federal (PF) deflagrou, nesta sexta-feira (23), a Operação Argólida, que visa acabar com grupos criminosos investigado por fraudar o auxílio emergencial, programa do governo que visa amenizar o impacto econômico causado pela pandemia do novo coronavírus no Brasil. Policiais federais deram cumprimento a quatro mandados de busca e apreensão, em Fortaleza e Maranguape/CE.

Foram apreendidos computadores, telefones e outras mídias que serão submetidas a exames periciais no intuito de apurar a prática delitiva. Os mandados foram expedidos pelos Juízos da 11ª e 32ª Varas da Justiça Federal. Os envolvidos responderão pelos crimes estelionato, falsidade ideológica e associação criminosa.

Fraude na venda de vacinas

Na última quinta-feira (23), a Polícia Civil do Rio de Janeiro cumpriu oito mandados de busca e apreensão contra suspeitos de fraude em ofertas de vacinas contra a covid-19. O órgão investiga indivíduos que teriam vendido lotes do imunizante Oxford/AstraZeneca a prefeituras brasileiras sem garantir a entrega do produto.

Segundo as instituições, cada dose foi oferecida por US$ 7,90. No entanto, os órgãos argumentam que, como as vacinas da AstraZeneca estão todas destinadas a consórcios internacionais e a governos de países, não há doses disponíveis para serem comercializadas sem passar pelo poder público.

Entre os municípios que receberam oferta investigada, estão: Recife, Duque de Caxias, Barra do Piraí e Porto Velho. A capital rondoniense, por exemplo, já teria, segundo a Polícia Civil, feito o pagamento, mas ainda não recebeu nenhuma dose.