Foto: Divulgação

O setor portuário nacional movimentou 174,3 milhões de toneladas no primeiro bimestre de 2021, crescimento de 9,7% em comparação com igual período de 2020. Os números referem-se a portos organizados e terminais autorizados e arrendados (com contratos legais) pelo poder público. Os dados são da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ) e foram divulgados pelo Ministério da Infraestrutura na última terça-feira (13).

Nos dois primeiros meses do ano, os terminais privados movimentaram 119,5 milhões de toneladas, um crescimento de 11,8% em relação ao primeiro bimestre do ano passado. Já os portos organizados movimentaram 54,8 milhões de toneladas, aumento de 5,2%.

O Terminal Marítimo de Ponta da Madeira (MA) foi a instalação que mais movimentou carga no primeiro bimestre deste ano: 28,4 milhões de toneladas, um crescimento de 3,4% em comparação com os dois primeiros meses do ano passado. Depois apareceram o Porto de Santos (SP), com 15,6 milhões de toneladas e crescimento de 6,6%, e o Terminal Aquaviário de Angra dos Reis (RJ), com 11 milhões de toneladas e aumento de 7,0%.

Portos seguem ritmo de crescimento, apesar da pandemia

Em 2020, os portos brasileiros também contabilizaram um aumento em relação ao ano anterior. A movimentação de cargas dos portos públicos brasileiros cresceu 5,68% no ano de 2020 em relação ao mesmo período de 2019. Foram movimentadas 447,1 milhões de toneladas de cargas no ano passado ante à movimentação de 423 milhões de toneladas em 2019.

O Porto de Santos registrou aumento na movimentação de cargas, fechando 2020 com acréscimo de 9,3% em relação a 2019. Foram movimentadas 146,5 milhões de toneladas de cargas no período. Além do recorde no total de cargas, os 11 primeiros meses de 2020 também bateram marcas históricas de determinadas cargas para o período. Os granéis sólidos tiveram alta de 14,9% na base anual, para 70,5 milhões de toneladas; os granéis líquidos também cresceram dois dígitos (10,7%), para 17,2 milhões de toneladas.

A Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ) viu sua movimentação de cargas crescer 8,6%, subindo de 50,4 milhões toneladas para 54,7 milhões. Os portos de Itaguaí, Rio de Janeiro, Niterói e Angra dos Reis registraram aumento de 21% no faturamento movimentado, totalizando R$ 630 milhões, maior crescimento dos últimos dez anos.