Foto: John Serrao

Os candidatos Pedro Castillo, líder do partido Peru Livre, de extrema-esquerda, e Keiko Fujimori, filha do ex-presidente Alberto Fujimori e integrante do direitista Força Popular, vão disputar o 2º turno das eleições presidenciais do Peru, marcado para 6 de junho. Os peruanos foram às urnas no último domingo (11), Castillo ficou em 1º lugar, com 19,1% dos votos e Keiko 13,3%.

O candidato Pedro Castillo ficou em 1º lugar é professor e líder sindicalista da esquerda rural e define seu modelo de governo como “Fidel Castro”, líder cubano. Castilho tem propostas conservadoras na área social e de esquerda no campo econômico. No domingo, ele chegou ao local de votação montado em uma égua.

Já Keiko Fujimori, é filha de Alberto Fujimori, que governou o Peru de 1990 a 2000, preso por violações de direitos humanos e a quem já disse que pretende perdoar se chegar ao Palácio do Governo. Keiko se apresentou como candidata de uma direita autoritária, reivindicando o êxito da presidência de seu pai.

O resultado da liderança de Castillo foi vista como surpreendente, uma vez que ele era praticamente desconhecido da maioria dos peruanos, há um mês. No entanto, o resultado é fruto da insatisfação da população andina, em sua maioria pobre, de origem indígena e historicamente marginalizada.

Pandemia

Atualmente o Peru, além de enfrentar uma profunda crise econômica, bate recordes de infecções e mortes por covid-19 e ainda sofre reflexos da crise política que atingiu o país em 2016, quando foram descobertos os subornos da construtora brasileira Odebrecht feitos a vários presidentes peruanos.