Foto: Marcelo Casal Jr/Agência Brasil

O Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregado(Novo Caged), do Ministério da Economia, registrou alta de 33% no número de contratos de trabalho encerrados por morte no 1º bimestre deste ano no Brasil, em comparação com o mesmo período de 2020, quando a pandemia ainda não havia chegado no país.

De acordo com o levantamento, foram 11.549 desligamentos de janeiro a fevereiro de 2021, contra 8.684 no início do ano passado. Na plataforma não há informações sobre a causa das mortes que resultaram em desligamentos de contratos, por esse motivo, não é possível afirmar que todos os óbitos são apenas por conta da covid-19.

O setor que teve o maior número de contratos encerrados por morte foi o de serviços, justamente o que mais contrata no país, que fechou com aumento de 36,5%. O comércio veio logo em seguida, aparecendo encerrando 34,9% mais contratos. Em seguida aparecem a construção civil (28,0%) e a indústria (31,6%).