Custo Brasil: governo quer reduzir burocracia em R$ 1,5 trilhão
Foto: Arquivo/Agência Brasil

No dia 30 de março de, foi lançada a agenda internacional da indústria 2021, em evento virtual, no qual reuniu 111 ações distribuídas em quatro eixos de atuação: ações em mercados estratégicos, cooperação internacional e serviços de apoio à internacionalização. Durante esse evento, membros do congresso nacional, do governo federal e representantes das indústrias participaram com o intuito de propor medidas para melhorar o comércio exterior.

O superintendente de Desenvolvimento Industrial da Confederação Nacional da indústria (CNI), João Emílio Gomes, comentou que o cenário do comércio exterior está em queda, e uma série de ações coordenadas devem ser feitas para aumentar a competitividade da indústria. A abertura comercial por meio de acordos equilibrados e do aprofundamento da agenda econômica do Mercosul é uma das medidas que poderiam ser adotadas para aperfeiçoar a questão do Comex.

Uma das prioridades das indústrias, é a internalização do acordo entre o Mercosul e a União Europeia, pois isso facilitaria a entrada do Brasil na OCDE, fazendo com que mude a legislação e lucros das multinacionais brasileiras no exterior. Para a abertura comercial acontecer, é preciso ter um diálogo com os países do Mercosul e com o setor produtivo.