Rachadinha, apesar de crime, é prática comum na política brasileira - Análise Arko
Fotos: Marcos Corrêa/PR

A pesquisa XP/Ipespe divulgada nesta segunda-feira (5) aponta que a avaliação negativa (ruim/péssimo) do governo Jair Bolsonaro subiu três pontos percentuais e agora soma 48%. Por outro lado, a avaliação positiva (ótimo/bom) caiu três pontos e está em 27%. O índice regular ficou estável em 24%.

Segundo a sondagem, 60% dos entrevistados desaprovam a maneira como o presidente Jair Bolsonaro administra o país. Por outro lado, 22% aprovam a forma de Bolsonaro administrar.

De acordo com a pesquisa, 67% dos entrevistados aprovam a nova rodada do auxílio emergencial. Apenas 29% são contrários ao benefício.

Questionados sobre o coronavírus, 55% responderam que estão com muito medo. 28% disseram que estão com um pouco de medo. E apenas 17% não estão com medo da covid-19.

Sucessão de 2022 indefinida

A simulação sobre as eleições de 2022 mostram uma polarização entre o presidente Jair Bolsonaro e o ex-presidente Lula (PT).

Segundo a XP/Ipespe, Lula aparece com 29% das intenções de voto. Ele está tecnicamente empatado com Bolsonaro, que registra 28%. Os ex-ministros Sergio Moro (Sem partido) e Ciro Gomes (PDT) somam 9% cada. Luciano Huck (Sem partido) tem 5%. Guilherme Boulos (PSOL), o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e o ex-ministro Luiz Henrique Mandetta (DEM) registraram 3%.

Nas simulações de segundo turno, Lula aparece numericamente à frente de Bolsonaro (42% a 38%). Porém, como a margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais para mais ou para menos, eles estão tecnicamente empatados.

Bolsonaro empatado com Moro (30% das intenções de voto para cada) e também com Ciro (38% cada um). O presidente está numericamente à frente de Huck (35% a 32%). No entanto, os dois estão tecnicamente empatados.

Hoje, Jair Bolsonaro venceria apenas Guilherme Boulos (38% a 30%) e João Doria (37% a 30%). Num hipotético embate entre Lula x Moro, o ex-presidente venceria o ex-juiz: 41% a 36%.