Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga durante audiência pública no senado

“A nossa meta é vacinar 2,4 milhões de pessoas por dia”, disse o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, durante audiência pública no Senado Federal, nesta segunda-feira (29). Queiroga destacou que na semana passada cerca 300 mil brasileiros foram vacinados por dia. Atualmente, a saúde superou a marca de 900 mil vacinados por dia.

De acordo com o ministro, o problema da vacinação não é a logística, e sim a disponibilidade de vacinas. “O Brasil já providenciou 535 milhões de doses de vacinas, principalmente do Butantan e Fiocruz. Problema imediato é vacina nos três meses que se seguem”, completou.

Queiroga apontou que em 2020 a covid-19 foi a principal causa de óbitos no Brasil e está trabalhando para que o mesmo não se repita este ano. “Em 2021 temos a esperança que é a vacina. O SUS é a resposta para esses problemas, precisamos fortalecer o SUS”, disse o ministro.

Com um discurso oposto ao do ex-ministro Eduardo Pazuello, Queiroga reforçou e cobrou que a população use máscaras. Ele também defendeu medidas para aumentar o isolamento social e pediu que o governo federal, estados e municípios atuem em harmonia. “Se todos os brasileiros usassem máscaras, teríamos um efeito quase igual ao da vacinação. Usar máscara é uma obrigação”, afirmou. Ele enfatizou incentivos para conscientizar e não punir. “Vamos fazer uma campanha forte não para multar ou prender, mas para conscientizar sobre a importância do uso de máscaras”, disse.

Queiroga afirmou, ainda, que a pasta está se preparando para orientar oriente o “uso racional” de oxigênio por profissionais de saúde para pacientes de Covid-19, para economizar o insumo, que está em falta em muitos hospitais.