Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Em audiência no Senado, cobrado pelo aumento do valor do Auxílio Emergencial, o ministro da Economia, Paulo Guedes, voltou a direcionar as atenções ao programa Renda Brasil, que vem sendo planejado pelo governo há meses mas que não saiu do papel por falta de uma fonte de recursos que não gere polêmica.

Como alternativa, ele propôs a criação do que chamou de “Fundo Brasil”, que seria alimentado, com a verba das privatizações e, ao mesmo tempo, com os lucros e dividendos de estatais. A ideia é que esse fundo viabilize o Renda Brasil e ao mesmo tempo ajude a pagar a dívida pública brasileira.

“A gente acelera as privatizações, começa a vender ativos mais rápido, reduz dívida mais rapidamente e reforça programas sociais. Já que isso pertence ao povo, vamos devolver recursos para a população brasileira”, disse.

Ele também propôs que o fundo tenha uma parte destinada a investimentos em infraestrutura e uma parte para renegociação de dívida de estados.