Jair Bolsonaro apresenta proposta para apoiar Santas Casas e Hospitais Filantrópicos. A nova linha de crédito visa beneficiar 1.600 unidades hospitalares

O presidente da República, Jair Bolsonaro, e o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, apresentaram, nesta quinta-feira (25), ações para apoiar mais de 1.600 Santas Casas e Hospitais Filantrópicos de todo país. A proposta, de acordo com o presidente da Caixa, gera um potencial de quase 200 mil leitos para auxiliar vítimas da Covid-19.

A ação consiste no lançamento de R$3,4 bilhões em uma nova linha de crédito com juros de 6% ao ano, representando uma redução de 42% da linha de crédito já existente. Além disso, haverá também aplicação do prazo de pagamento, que era de 7 anos, para 10 anos. “Ao ampliar o prazo, nós ampliamos também o limite para emprestar. Nunca houve no Brasil um financiamento com essa taxa para as Santas Casas”, afirmou Pedro Guimarães.

Jair Bolsonaro apontou que hoje o endividamento das Santas Casas com a Caixa é grande e que a proposta, além de solução para o problema, também beneficiará novas casas. “É uma linha de crédito com juros bastantes baixos, isso ajuda em muito caso as Santas Casas entendam que podem contrair esses empréstimos com juros baixos, inclusive com carência bastante longa. Podendo assim, melhor atender a população em geral e os vitimados da covid-19”, disse.

Auxílio emergencial

Durante o pronunciamento, o presidente Jair Bolsonaro confirmou o pagamento de mais uma rodada do auxílio emergencial, que será de R$250 reais em 4 parcelas. “Pode não ser muito, mas representa algo para quem de fato necessita”, disse Bolsonaro.

O presidente defendeu que desde o início da pandemia vida e emprego são as maiores preocupações do governo. “Foi criado o maior programa social do mundo com o auxílio emergencial, beneficiando R$68 milhões de pessoas. Em grande parte, os beneficiados foram pessoas que não tinham carteira de trabalho e viviam da informalidade. Não esquecemos dessas pessoas”, afirmou Bolsonaro.