O presidente do BNDES, Gustavo Montezano, participa do programa A Voz do Brasil. Foto: Marcelo Casal Jr./Agência Brasil

O BNDES pretende apresentar ao mercado, em até cinco meses, o modelo de privatização da Eletrobras, anunciou na sexta-feira o presidente da instituição, Gustavo Montezano. Para ele, a edição da MP nº 1.031/21, que definiu as regras de privatização da estatal, deu a largada no processo formal para a capitalização da empresa, cujo controle acionário sairia da União e passaria para grupos privados.

A MP foi entregue pessoalmente pelo presidente Jair Bolsonaro ao Congresso no dia 23 do mês passado. Segundo Montezano, o processo “passa por auditoria, análises financeiras, análises setoriais e todo o rito processual da lei do Programa Nacional de Desestatização que o BNDES tem que executar”.

Montezano disse ainda que, no momento, o BNDES está “no meio dessa jornada e a gente espera em breve, dentro de cinco meses, no máximo, já divulgar ao mercado o que seria uma cara dos termos em alto nível dessa operação”. O passo seguinte será o envio do processo para a análise do Tribunal de Contas da União (TCU), informou, em entrevista à rede de TV BandNews.

“A gente está otimista. A operação faz sentido para o Brasil, faz muito sentido para o consumidor e fará sentido também para os investidores”, disse. A MP nº 1.031/21 recebeu 570 emendas de deputados e senadores dentro do prazo regimental, mas a Comissão Mista que vai analisar a proposta do governo ainda não foi instalada.