Médico Marcelo Queiroga Foto: Paulo (Fotos Públicas)

O Palácio do Planalto realizou nesta terça-feira (23) uma cerimônia discreta para dar posse a Marcelo Queiroga como ministro da Saúde. O evento não estava na agenda oficial do presidente Jair Bolsonaro nem do ministro Eduardo Pazuello.

A confirmação deve ser publicada em uma edição extra do Diário Oficial da União (DOU).

O Palácio do Planalto ainda não explicou o motivo pelo qual a nomeação foi feita dessa forma imprevisível.

Queiroga mal chegou e já sofre pressões de parlamentares por uma mudança na condução da pandemia. Parte disso se deve à declarações dadas pelo médico e por Pazuello de que daria continuidade para o trabalho do atual ministro.

“Sai um gestor e entra um médico. Não estamos falando de transição. Somos um só governo. O doutor Queiroga chega para ir além do trabalho até agora prestado por nós”, disse Pazuello quando o nome de Queiroga foi anunciado.

Queiroga também entra sobre grande pressão da sociedade civil. Uma carta publicada no final de semana, assinada por mais de 500 economistas, pede aceleração na vacinação e que um plano de isolamento social seja feito pelo governo federal.