Candidato a Presidência da República Henrique Meirelles na FIRJAN no Rio de Janeiro. Foto Sérgio Dutti

“O Brasil precisa acelerar sua vacinação para crescer 3,5% em 2021. Nosso país, no entanto, está vacinando pouco. A imunização será o divisor de águas nesse ano”, afirmou Henrique Meirelles, secretário da Fazenda do governo de São Paulo, à Arko Advice nesta segunda-feira (15). Meirelles participou de um webinário mediado por Murilo de Aragão, CEO da Arko.

Segundo o secretário, em paralelo à imunização, o Brasil deve focar seu trabalho na redução da dívida pública. “A situação fiscal sempre foi um dos maiores problemas da economia brasileira. Nossa dívida pública é alta e nossa reserva é baixa. O Teto de Gastos foi a solução encontrada durante a nossa gestão. Porém, é de suma importância termos a continuação desse posicionamento. A PEC Emergencial, por exemplo, foi mais uma ação nessa linha”, disse.

Na esfera paulista, Meirelles disse estar satisfeito com a situação econômica do estado. E, por isso, nenhuma medida excepcional em decorrência dos novos lockdowns deverá ser tomada. “O estado fez o seu dever de casa ao aprovar a reforma administrativa e da previdência. Além disso, mesmo em um ano pandêmico como foi o de 2020, nosso PIB se manteve positivo” afirmou.

O secretário, no entanto, mostrou-se comprometido com a continuidade das privatizações estaduais, principalmente no setor de infraestrutura. A venda da Sabesp, por exemplo, já está na fase de estudos. “Estamos analisando se a Sabesp será privatizada como um todo, ou se continuará com uma mão do governo. Tínhamos um plano, mas com a aprovação da lei do saneamento, precisaremos contratar um novo consultor para tratar do assunto. Em breve teremos um parecer concreto”, disse.

Foto: Romeu Escanhoela

Meirelles ainda comentou sobre sua projeção eleitoral. “Fui procurado por um grande partido para concorrer ao senado por Goiás nas próximas eleições. Estou analisando a proposta, mas só tomarei uma decisão em abril do ano que vem”. Em 2018, ele concorreu à presidência pela MDB.