Presidente da República, Jair Bolsonaro, durante almoço em homenagem ao Presidente da Argentina, Mauricio Macri. Foto: Isac Nóbrega/PR

Depois de muitas divergências ideológicas entre seus atuais presidentes, Brasil e Argentina voltam a se irmanar e se encontrarão na celebração dos 30 anos de criação do Mercosul, cuja festa de cúpula deverá acontecer em 26 de março, no que promete ser o primeiro encontro presencial entre Jair Bolsonaro e Alberto Fernández.

Para endossar seu apoio ao país, o presidente brasileiro se declarou recentemente favorável às negociações da Argentina com o FMI, que vem em decorrência do assolamento latino-americano causado pela Covid-19.

Bolsonaro disse torcer “para que a Argentina tenha sucesso nas suas negociações com o FMI” e que o êxito econômico dos países vizinhos também impacta positivamente no Brasil. A renegociação da dívida argentina com o Fundo, adquirida durante o governo de Mauricio Macri, busca dar mais prazo para o pagamento dos US$ 44 bilhões devidos.

O encontro, contudo, não será apaziguador para a relação conturbada entre Bolsonaro e Fernández, que são diametralmente opostos no campo ideológico e se atacam constantemente por meio da imprensa.