Foto: Reprodução Facebook

Na eleição de 2018 pelo Palácio do Buriti, sede do governo do Distrito Federal, o general da reserva Paulo Chagas (PRP) contou com o apoio do presidente Jair Bolsonaro. Se o caminho dos dois militares parecia em tudo convergente, alguns meses foram suficientes para afastar a aliança. Nas redes sociais e em uma série de entrevistas nos últimos dias, Chagas fez questão de pontuar que não compactua com o presidente da República.

Em entrevista publicada pelo Correio Braziliense nesta terça-feira (9), o general disse que está decepcionado pela retomada do chamado presidencialismo de coalizão, marcado pelas negociações com o centrão. Disse também que Bolsonaro usa a máquina pública para proteger o filho, Flávio Bolsonaro, no caso das rachadinhas na Alerj.

Para o general, Bolsonaro tem perdido o apoio, inclusive dos militares, incluindo o vice-presidente Hamilton Mourão na lista de decepcionados com o presidente. “Os indícios indicam que ele está tão decepcionado quanto eu. Além disso, está sendo desconsiderado pelo presidente da República. Mourão não é vaca de presépio”, disse.

Nas redes sociais, o general é ainda mais incisivo: