O projeto tem objetivo triplo: propor a criação de uma nova modalidade de títulos de dívida, as debêntures de infraestrutura, aperfeiçoar as debêntures incentivadas e buscar corrigir barreiras para operação de fundos de investimento em infraestrutura. Na prática, a matéria busca aquecer o setor infraestrutural do Brasil.
Foto: Reprodução/Blog do Gestor

O Fundo de Investimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FI-FGTS) abriu na segunda-feira um edital de chamada pública para financiar projetos em vários setores de infraestrutura. O FI-FGTS conta com recursos de R$ 3 bilhões para financiar empreendimentos de energia, rodovia, ferrovia, hidrovia, porto, aeroporto e saneamento.

O objetivo é investir em construção, reforma, ampliação ou implantação de novos projetos. O valor máximo de cada proposta de investimento será de R$ 400 milhões. Pelo edital, o fundo financiará até 25% do projeto. Em contrapartida, será exigido do empreendedor capital próprio mínimo de 20% do valor total do negócio.

A chamada ficará aberta para recebimento de propostas por quatro meses, contados desde o dia 1º deste mês. Ou por prazo inferior, caso sejam aprovadas 24 propostas apresentadas no edital, ou se a soma dos valores das propostas aprovadas atingir o teto de R$ 3 bilhões.

O Edital da Chamada Pública nº 5/21 pode ser acessado clicando aqui.

Players se informam

Na live Cenários Brasil 2021, promovida na terça-feira pela Arko Advice, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, revelou que é sua meta este ano transferir 54 ativos para o capital privado. A iniciativa representa algo em torno de R$ 140 bilhões em investimentos nas áreas de transportes e logística.

Os ativos incluem 23 aeroportos, 17 terminais portuários, 11 rodovias e duas ferrovias (o primeiro trecho da Fiol/BA e a Ferrogrão/MT-PA), além da desestatização da Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa). “A confiança do investidor é um caso concreto. Os players já estão conversando conosco, estudando os projetos e tirando dúvidas sobre os termos. Não temos dúvida de que teremos grandes resultados em nossos leilões”, afirmou o ministro.