Reunião de Instalação e Eleição (virtual). Relator, sen. Marcio Bittar. Foto: Gustavo Sales/Câmara dos Deputados

O relatório preliminar do relator-geral do Orçamento de 2021, senador Márcio Bittar (MDB-AC), apresentou uma estimativa de quanto custaria versão mais simples do auxílio emergencial, mas não fixou um valor. O texto deve ser votado nesta quinta-feira (4) pela Comissão Mista do Orçamento (CMO).

“Estender o auxílio emergencial por apenas quatro meses, em menor valor, e a um público reduzido à metade custaria cerca de R$ 30 bilhões. Alternativa em debate é a extensão do Bolsa Família para candidatos que já estão na fila do programa, cujo impacto fiscal seria de aproximadamente R$ 10 bilhões”, disse Bittar.

A eventual prorrogação do auxílio depende da PEC Emergencial. Pela proposta, o governo pode gastar até R$ 44 bilhões com o programa. O valor não seria, entretanto, contabilizado no teto de gastos.