Vista do Edifício Itália, região central de São Paulo. Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

O governo de São Paulo decidiu nesta quarta-feira (3) que retornará à Fase 1-Vermelha do Plano São Paulo. A medida busca conter o avanço da pandemia da COVID-19 no estado. A nova regra entra em vigor no sábado (6), e valerá por 14 dias, até o dia 19 de março.

Segundo o governador João Doria (PSDB), “estamos à beira de um colapso, e isso exige medidas urgentes”. Entretanto, as aulas presenciais não serão suspensas no período. A frequência presencial dos alunos não será obrigatória, e a capacidade máxima das salas de aula será limitada a 35% do total de alunos.

Na Fase 1-Vermelha, a mais restritiva do Plano São Paulo, somente serviços considerados essenciais como farmácias, padarias, postos de combustíveis, transporte, bancos, hotéis e supermercados podem funcionar. Nesta semana, o governo estadual acrescentou igrejas e estabelecimentos religiosos como serviços essenciais.