Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, anunciou nesta segunda-feira (18) que a campanha de imunização contra a COVID-19 em todos os estados poderá começar ainda hoje, por volta das 17h. A oficialização da vacinação ocorreu em ator simbólico realizado com a presença de governadores no Centro de Distribuição Logística localizado em Guarulhos (SP).

Na ocasião, Pazuello disse que “está dado o primeiro passo para a maior campanha de vacinação do mundo. O Brasil é referência em vacinas no mundo e vai continuar sendo”. Inicialmente, a campanha estava marcada para começar na quarta-feira (20).

A imunização terá início pelos grupos prioritários da fase 1, como trabalhadores de saúde, pessoas com mais de 60 anos, pessoas com deficiências institucionalizadas e população indígena aldeada. A distribuição das vacinas para os estados começou com o envio de 44 toneladas de vacinas para o Distrito Federal e para as capitais de 10 estados: Acre, Amapá, Amazonas, Ceará, Goiás, Mato Grosso do Sul, Piauí, Rondônia, Roraima e Santa Catarina.

Autorização da Anvisa

No domingo (17), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou por unanimidade o uso emergencial de duas vacinas contra a COVID-19. São elas: a CoronaVac, desenvolvida pela Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, e a Covishield, produzida pela farmacêutica indiana Serum, com a AstraZeneca/Oxford/Fiocruz.

A autorização da CoronaVac foi condicionada à assinatura de um Termo de Compromisso que determina que seja realizada e apresentada à agência reguladora a complementação dos estudos sobre a duração da resposta imunológica dos que foram vacinados. A complementação deve ser realizada até o dia 28 de fevereiro.

A diretora da Anvisa Meiruze Freitas, relatora dos dois processos, destacou que “o acesso às vacinas e à proteção que elas podem conferir é questão de segurança nacional”.