Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

De acordo com relatório da Human Rights Watch, o presidente Jair Bolsonaro tentou sabotar esforços no combate à pandemia da COVID-19 no Brasil durante o ano de 2020. A organização estabeleceu também que o presidente tomou medidas que prejudicaram diretamente os direitos humanos. A informação é do jornal Estado de S. Paulo.

O relatório, que é publicado anualmente, analisa mais de cem países quanto à situação dos direitos humanos. No capítulo sobre o Brasil, a organização escreveu que Bolsonaro minimizou a doença e disseminou informações falsas. “O governo Bolsonaro promoveu políticas contrárias aos direitos das mulheres e das pessoas com deficiência, enfraqueceu a aplicação da lei ambiental e deu sinal verde às redes criminosas que operam no desmatamento ilegal da Amazônia”, escreveu no documento.

A Human Rights Watch também disse que o papel das instituições nacionais brasileiras foi essencial para conter retrocessos. “O Supremo Tribunal Federal tomou decisões contra as tentativas da administração de Bolsonaro de retirar dos Estados a autoridade de restringir circulação de pessoas para conter a pandemia”, completou o documento. Também foi citado a tentativa de Bolsonaro de suspender a Lei de Acesso à Informação (LAI) e de ocultar dados públicos sobre a pandemia da COVID-19.