Foto: Isac Nóbrega/PR

O Brasil atingiu nesta quinta-feira (7) a marca de 200 mil mortos por COVID-19. Em declaração feita em sua live semanal, o presidente Jair Bolsonaro disse que lamenta, mas que “a vida continua”. “A gente lamenta hoje que estamos batendo aí 200.000 mortes, muitas dessas mortes com covid, outras de covid. Não temos uma linha de corte no tocante a isso aí, mas a vida continua”, disse.

Nas últimas 24 horas, o país registrou 1.524 novas mortes, sendo o terceiro dia seguido que a quantidade de vítimas diárias ultrapassa 1.000. O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, estava com o presidente na live. O Ministério divulgou nota lamentando as mortes. “Para nós, do Ministério da Saúde, não é só um momento de pesa. É também momento de reflexão e de unir forças, para que todos os dias possamos trabalhar empenhados na solução dessa pandemia”, escreveu a nota.

Autoridades lamentam mortes

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que a CoronaVac é um sopro de esperança. A vacina, que será produzida pelo Instituto Butantan tem a eficacácia de 78% para casos leves da COVID-19. “A vacina é nosso passaporte para retomar a vida normal, salvar vidas e fazer a economia voltar a crescer”, disse.

O presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre (DEM-AP), disse em postagem no Twitter que “dormiremos tristes, porém, agora, esperançosos”. E que a contabilização das 200 mil mortes pela COVID-19 é uma “realidade terrivelmente triste e assustadora”.