A repetição de que houve fraude nas eleições norte-americanas colocou Bolsonaro em dupla sinuca de bico.

A primeira é porque a declaração de Bolsonaro soou como apoio aos protestos de trumpistas no Congresso norte-americano.

Na manhã desta quinta-feira (07), em frente ao Palácio do Planalto, Bolsonaro disse que “se nós não tivermos o voto impresso em 2022, uma maneira de auditar o voto, nós vamos ter problema pior que os Estados Unidos”.

No STF, a fala do presidente foi entendida como um apreço à soluções “desistitucionalizantes”.

A segunda sinuca de bico foi com os Estados Unidos: ao repetir que houve fraudes – na linha do que afirma (sem provas) Donald Trump – Bolsonaro desacredita as eleições americanas e aumenta as dificuldades de relacionamento pessoal com Joe Biden.

As atitudes de Donald Trump em não reconhecer o resultado e estimular protestos são imediatamente associadas ao eventual comportamento futuro de Bolsonaro no Brasil caso venha a ser derrotado em 2022.

A dura reação dos presidentes do Congresso, STF e TSE ao ocorrido em Washington é uma clara mensagem para Bolsonaro de que comportamentos não-institucionais não serão tolerados.


*Análise Arko – Esta coluna é dedicada a notas de análise do cenário político produzidas por especialistas da Arko Advice. Tanto as avaliações como as informações exclusivas são enviadas primeiro aos assinantes. www.arkoadvice.com.br