Architect of the Capitol

O Congresso dos Estados Unidos ratificou na madrugada desta quinta-feira (7) a vitória de Joe Biden nas eleições para a Presidência. A contagem dos votos do colégio eleitoral, que é realizada em sessão conjunta da Casa dos Representantes e do Senado, foi interrompida na tarde de quarta-feira por manifestantes pró-Trump.

Os apoiadores do presidente Donald Trump não aceitaram o resultado das eleições e invadiram o local. Deputados e Senadores foram retirados do prédio. Na ocasião, quatro pessoas morreram e quatorze policiais ficaram feridos. A sessão foi interrompida por volta das 13h30 (horário local), e apenas foi retomada às 22h (horário local).

Após o vice-presidente Mike Pence anunciar a vitória de Biden, Trump disse em nota que haverá uma “transição ordeira” do poder. “Embora isso represente o fim do maior primeiro mandato da história presidencial, é apenas o começo de nossa luta para tornar a América grande de novo”, afirmou Trump.

Segundo o diretor de Estratégia da Arko Advice e correspondente em Washington, Thiago de Aragão, o que aconteceu na capital foi uma situação sem precedentes. “A tendência é que seja uma vitória de Pirro pois não leva a lugar nenhum, apenas gera o caos, gera um desconforto profundo, de falta de credibilidade nas instituições americanas e também aumenta muito o alerta pro que irá acontecer no dia 20”, analisou Aragão.

Vitória de Biden

Joe Biden venceu com 51,3% dos votos populares (cerca de 81,2 milhões de votos), contra 46,8% de Donald Trump (cerca de 74,2 milhões). No Colégio Eleitoral, Biden levou 306 votos enquanto Trump arrematou 232.

Biden e Kamala Harris serão empossados como presidente e vice-presidente dos Estados Unidos no dia 20 de janeiro.