Foto: govesp

O governo de São Paulo apresentou nesta quarta-feira (6) novas informações sobre o Plano Estadual de Imunização contra a COVID-19 em reunião com prefeitos do estado. A vacinação deverá ocorrer de segunda a sexta, das 7h às 22h, e das 7h às 17h aos sábados, domingos e feriados. A previsão de início é dia 25 de janeiro.

A vacina usada no estado será a CoronaVac, produzida pelo laboratório chinês Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan. Entretanto, ainda precisa ter a eficácia comprovada para que possa ser liberada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O governo paulista prevê que os documentos sejam entregues à Anvisa ainda hoje. O objetivo é que os resultados dos testes feitos no Brasil sejam divulgados na quinta-feira em coletiva de imprensa. Os resultados deveriam ter sido divulgados no dia 23 de dezembro, mas foram adiados.

Segundo o secretário de Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, devem ser usados outras localizações como unidades de vacinação, como escolas, quartéis da Polícia Militar, estações de trem, terminais de ônibus, farmácias e sistema de drive-thru. Desta maneira, deve-se ampliar o número de postos de vacinação de 5.200 para 10 mil.

Na primeira fase de imunização, devem ser vacinas 9 milhões de pessoas. Serão contemplados idosos com mais de 60 anos, profissionais de saúde, indígenas e quilombolas.