Em evento na Câmara nesta quarta-feira (6), o deputado Baleia Rossi (MDB-SP) lançou sua candidatura à presidência da Casa. Acompanhado de lideranças tanto do centro como da oposição, o candidato reforçou o discurso da defesa de uma Câmara independente, em contraponto ao rival Arthur Lira (PP-AL), apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro.

Em seu discurso, Baleia fez questão de lembrar que o Centrão liderado por Lira foi contra a expansão dos recursos direcionados para o Fundeb. Prevendo a derrota, o grupo também tentou inserir no texto um dispositivo que direcionava verba para instituições religiosas particulares.

“Se a Câmara for submissa, ela não fiscaliza, não acompanha e não participa das questões que são importantes para o nosso país”, criticou Baleia.

Auxílio Emergencial

Baleia Rossi também defendeu que a Câmara retome a discussão sobre a prorrogação do Auxílio Emergencial.

“A pandemia não acabou. Temos milhões de brasileiros que vão deixar de receber o auxílio emergencial e vão voltar a ter grandes dificuldades para ter o mais básico, que é alimento na sua mesa”, declarou.

A fala entra em conflito com o que vem sendo defendido pelo atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que é apoiador de Baleia Rossi.

Quando questionado sobre a incongruência entre o posicionamento dos dois deputados, o coordenador da campanha de Baleia, deputado Isnaldo Bulhões Jr. (MDB-AL), argumentou que outras matérias devem ser moldadas com o objetivo de abrir espaço no orçamento para uma prorrogação do Auxílio Emergencial ou aumento do Bolsa Família. Ele citou a PEC Emergencial e a Reforma Tributária, que, segundo Baleia, “está pronta para votação”.

Convocação em janeiro

Nas últimas semanas, Rodrigo Maia tem dito que não há apoio suficiente no Congresso para uma convocação extraordinária ainda em janeiro. Contudo, o assunto voltou a ser defendido, agora por Baleia Rossi.

“Por sugestão de vários líderes, conversei com Maia para que, se necessário, possa fazer uma convocação da Câmara junto a uma convocação do Senado para votar medidas urgentes ainda em janeiro”, disse.

O objetivo da convocação seria votar a PEC Emergencial, que poderia abrir espaço no orçamento para a inclusão para a prorrogação do Auxílio Emergencial