Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

O presidente do PP, Ciro Nogueira, enviou ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) um documento em que questiona quais serão os procedimentos a serem adotados na votação para eleger o presidente da Câmara dos Deputados, em fevereiro.

O documento defende que o Regimento Interno da Câmara define que a votação precisa ser secreta e presencial (com a utilização do sistema eletrônico disponível no Plenário). O argumento é que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) manteve presenciais as eleições municipais, portanto não haveria precedente para uma flexibilização das regras na eleição na Câmara.

O PP sugere três formas de manter a votação presencial e, mesmo assim, garantir a saúde dos deputados: 1- votação no modelo “drive thru”, com urnas posicionadas em locais externos; 2- definição de horário em separado para votação dos deputados que fazem parte dos grupos de risco para covid-19 e 3- disponibilização de álcool em gel.

Sobre a possibilidade de votação pelo sistema remoto, o PP questiona: “Qual a garantia de que o sigilo do voto de cada parlamentar será preservado, […] já que o processo de votação será realizado pela internet, abrindo-se a possibilidade de ataques e manipulações externas?”.

Oficialmente, o partido tem como candidato o deputado Arthur Lira (PP-AL).