Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

Mesmo durante o recesso parlamentar, a disputa pela presidência da Câmara dos Deputados segue mobilizando as lideranças partidárias. A maior incógnita no momento é se os partidos de esquerda vão ou não apoiar Baleia Rossi (MDB-SP). PT, PSB, PDT e PCdoB buscam tomar uma decisão conjunta sobre o apoio ou não ao emedebista. A decisão tem sido postergada em uma sequência sem fim de reuniões, indício do tamanho da divisão interna na oposição.

A reunião mais recente foi realizada nesta terça-feira (29). Logo em seguida, o deputado Ênio Verri, líder do PT da Câmara, disse aos jornalistas que o partido “continua firme” no bloco criado por Rodrigo Maia, mas assumiu que setores do partido defendem o lançamento de um candidato próprio e que a opção é avaliada.

Na segunda (2), as lideranças já haviam se reuniram com o próprio Baleia Rossi e apresentaram uma carta com demandas do grupo.

Uma nova reunião foi marcada para a segunda-feira (4) com a expectativa de que a posição do partido seja finalmente definida.

Vale destacar que o racha da esquerda beneficia Arthur Lira (PP-AL), que é o candidato de Bolsonaro na disputa.

“Quero reafirmar meu voto em Arthur Lira. Falando com 15 colegas do PSB, os mesmos permanecem com a mesma posição de 15 dias atrás. Afinal, palavra é palavra”, disse no Twitter o deputado Felipe Carreras, do Partido Socialista Brasileiro (PSB).

Em outra postagem ele questiona o apoio da esquerda a Baleia Rossi, explicando parte da divisão petista: “Vai ser bem estranho a bancada do PT fechar com um candidato à presidência da câmara do MDB. Vão assinar um atestado que o impeachment de Dilma foi certo.”