Divulgação

Empresas brasileiras fabricantes de produtos de plásticos participaram na semana passada de rodada de negócios com importadores do Oriente Médio. Reuniões ocorreram entre a segunda (7) e quinta-feira (10) e foram realizados pelo Think Plastic Brazil em parceria com a Câmara de Comércio Árabe Brasileira. O programa de incentivo à exportação de plástico transformado brasileiro é fruto de parceria entre o Instituto Nacional do Plástico (INP) e a Agência de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Após a rodada de negociações, as empresas brasileiras participantes tiveram a percepção que os importadores árabes estão mais dispostos a abrir seu mercado. Acredita-se que essa mudança se dá em função de alterações na cadeira de suprimentos globais, em especial causada pela pandemia da Covid-19. O mercado de produtos em plástico do Oriente Médio é dominado pela Ásia e Europa, que viveram a pandemia mais cedo. Como o Brasil foi um dos últimos países a ser afetado, pode seguir exportações por mais tempo.

O Oriente Médio é um mercado estudado pelo Think Plastic desde 2018. Algumas das empresas do setor atuam na região, em especial no Catar e nos Emirados Árabes Unidos, e é um mercado relativamente inexplorado. Os importadores árabes desejam descentralizar o fornecimento para minimizar riscos futuros.