As exportações brasileiras de carnes cresceram muito durante a pandemia, mas recentes acontecimentos vêm demonstrando que tais índices podem cair no próximo ano.

Apesar de, no acumulado do ano até novembro, o Brasil ter vendido 9% acima do mesmo período do ano anterior, e da receita ter crescido 14% em relação à 2019, a detecção de traços de Covid-19 em testes de rotina realizados em amostras de carnes brasileiras nos portos chineses levou, na última sexta-feira, à suspensão de dois frigoríficos, o mato-grossense Naturafrig e o tocantinense Plena Alimentos, completando uma dezena de frigoríficos suspensos pela China pelo mesmo motivo.

As exigências de testagem de produtos importados voltaram a ser mais pesadas desde o ressurgimento de surtos de Covid-19 na China, onde foi inicialmente detectada a doença, em novembro de 2019.

A suspensão das marcas brasileiras, por ora, é de uma semana, de acordo com a Administração Geral das Alfândegas da China (GACC), mas se novos produtos forem detectados com traços da doença, pode chegara quatro semanas.