Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

O Senador Renan Calheiros (MDB-AL), por meio do twitter, defendeu que não haja recesso. Disse que “precisamos resolver o Fundeb, o auxílio emergencial, o Orçamento e o déficit fiscal de quase R$ 1 trilhão”.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), respondeu afirmando que concorda com a prorrogação dos trabalhos e disse que é a favor que o Congresso trabalhe em janeiro para aprovar, principalmente, a PEC emergencial. “Não há outra solução, já que o decreto de calamidade não será prorrogado”, completou.

Disse ainda que “Temos na pauta medidas relacionadas à vacina, o PLP 137 e a possibilidade de aprovação da CBS”. O CBS é a Contribuição sobre Bens e Serviços, proposta de Reforma Tributária enviada pelo governo ao Congresso que prevê a unificação de PIS e Cofins.