Tereza de Benguela, Anésia Pinheiro Machado, Marília Chaves Peixoto e Ceci Cunha darão nome a espaços da Câmara dos Deputados, em homenagens aprovadas pelo Plenário nesta quinta-feira (10).

Todas as propostas são de autoria da líder da bancada feminina, Professora Dorinha Seabra Rezende (DEM-TO), e já foram promulgadas durante a sessão. Os textos foram aprovados por acordo.

“São mulheres que fizeram contribuições importantes ao País, que nos honram na sua representatividade e agora nomeiam espaços desta Casa”, comentou Dorinha.

A 1ª secretária da Câmara, Soraya Santos (PL-RJ), que presidiu os trabalhos durante a votação, afirmou que as parlamentares chamaram a atenção para a desproporcionalidade no reconhecimento de homens e mulheres no Congresso.

“É importante defender essa mudança, e agradeço o apoio da Mesa Diretora, que abraçou a ideia. Agora temos nomes femininos em lugares importantes, como o corredor que dá acesso ao Plenário.”

Ícone negra

Tereza de Benguela vai nomear o corredor de acesso ao Plenário da Câmara dos Deputados de acordo com o Projeto de Resolução 54/20.

Considerada ícone da resistência negra no Brasil colonial, Tereza de Benguela liderou, durante o século 18, o Quilombo do Piolho – o maior do estado de Mato Grosso –, também conhecido como Quilombo do Quariterê (a atual fronteira entre Mato Grosso e Bolívia). Sob sua liderança, a comunidade negra e indígena, cujos registros apontam para mais de duzentas pessoas, resistiu à escravidão por décadas.

Relatora da matéria, a deputada Benedita da Silva (PT-RJ) afirmou que Rainha Tereza, como era conhecida, é símbolo de força, resistência e luta contra o racismo e desigualdades que perduram até hoje em nossa sociedade.

Aviadora

O plenário 11 das comissões permanentes será nomeado Anésia Pinheiro Machado, homenagem à aviadora prevista no Projeto de Resolução 55/20.

Anésia Pinheiro Machado foi proclamada, em 1954, Decana Mundial da Aviação Feminina pela Federação Aeronáutica Internacional (FAI).

Para a relatora da proposta, deputada Luisa Canziani (PTB-PR), a homenagem agrega e notabiliza a relevância da mulher em todas as atividades laborais. “Vai impulsionar a luta contra os obstáculos estruturais que ainda impedem as brasileiras de ocuparem empregos, cargos e postos de trabalho em iguais condições aos homens”, disse.

Matemática

Por sua vez, o plenário 13 passará a se chamar Marília Chaves Peixoto, cientista e pesquisadora homenageada pelo Projeto de Resolução 59/20.

Marília Chaves Peixoto foi uma matemática e engenheira brasileira, autoridade mundial na área. Foi a primeira mulher brasileira a ingressar na Academia Brasileira de Ciências, em 1951, sendo também a primeira mulher membro efetiva da instituição.

A relatora, deputada Bia Cavassa (PSDB-MS), destacou que Peixoto é um excelente exemplo para as mulheres, ainda hoje discriminadas em áreas consideradas “eminentemente masculinas”.

Deputada

A ex-deputada Ceci Cunha dará o nome ao plenário 2 das comissões, segundo o Projeto de Resolução 71/20. Cunha foi assassinada em 1998 em crime encomendado pelo suplente, para tomar-lhe a vaga no Parlamento.

A relatora, deputada Tereza Nelma (PSDB-AL), ressaltou que a carreira de Ceci Cunha foi encerrada de forma precoce e trágica. “Homenagear Ceci Cunha é homenagear todas as deputadas que lutam pelos mais necessitados.”

Fonte: Agência Câmara de Notícias