Foto: Divulgação

Pela primeira vez em 2020, o mercado financeiro estima que o Brasil terá neste ano inflação acima do centro da meta. De acordo com as informações divulgadas pelo Banco Central no Boletim Focus, é esperada uma inflação de 4,21% – é 17ª vez seguida em que a projeção é corrigida para cima. A estimativa anterior era de 3,54%. O valor ainda está dentro da meta definida, que vai de 2,5% a 5,5%, mas ultrapassou pela primeira vez o centro da meta, que é de 4%.

Entre os fatores que podem estar pressionando as projeções está a adoção de bandeira tarifária vermelha em dezembro pela Aneel e o recente aumento no preço de alimentos, resultado do aumento das importações.

Já a projeção do mercado para a inflação de 2021 teve queda. Passou de 3,47% na semana passada para 3,34% nesta semana.

Selic

Nesta semana, na terça (8) e quarta-feira (9), o Comitê de Política Monetária (Copom) se reúne para discutir se altera ou não a Selic. A expectativa do mercado trazida no boletim Focus é de que a taxa básica de juros não seja alterada e continue em 2%. Para 2021, projeção é que a Selic seja de 3% ao ano, o mesmo valor estimado no boletim anterior.