Foto: Divulgação/Prefeitura de Belo Horizonte

A Câmara dos Deputados criou uma comissão externa para debater políticas públicas sobre envelhecimento saudável.

A deputada Leandre (PV-PR), que propôs a criação do colegiado, lembra que a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou a década do envelhecimento saudável o período de 2020-2030. Para isso, definiu diretrizes em quatro eixos de atuação: combate ao preconceito etário, ambientes amigáveis aos idosos, alinhamento de sistemas de saúde, e cuidado a longo prazo.

População idosa

A OMS considera idoso quem tem 60 anos ou mais. Segundo o IBGE, em 2018, havia mais de 30 milhões de brasileiros nessa faixa etária. E o crescimento desse grupo tem se tornado cada vez mais representativo. Na medição anterior do instituto, em 2012, a população idosa era de 25,4 milhões.

“O número e a proporção de pessoas acima dos 60 anos entre a população é
crescente e mostra que esse aumento tem acontecido em um ritmo sem
precedentes e que se acelerará ainda mais nas próximas décadas”, afirma Leandre, que também coordena o novo colegiado.

Por isso, ressalta a parlamentar, serão cada vez mais necessárias ações multissetoriais de melhoria do envelhecimento saudável, de modo a prevenir doenças, promover a saúde, manter a capacidade funcional e viabilizar a capacidade funcional. Essas ações, continua a deputada, deverão ser estabelecidas por meio de parcerias do poder público, organizações diversas e a sociedade como um todo.

Leandre afirma ainda que essas políticas devem proporcionar “a oportunidade de repensar não apenas o que é ser uma pessoa idosa, mas também a forma como toda a sua vida pode se desenrolar”.

Fonte: Agência Câmara de Notícias