Foto: SESI/Vinicius Magalhães

A comissão da Câmara dos Deputados que acompanha as políticas de enfrentamento da pandemia vai convocar o secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Medeiros, para explicar a falha na logística do ministério que pode levar ao desperdício de 6,8 milhões de testes contra a covid-19. A comissão também avalia convocar nomes do Delog (Departamento de Normas e Sistemas de Logística) para explicar a fala na distribuição.

Os testes, do tipo RT-PCR, estão estocados em um armazém em Guarulhos e prestes a perderem a validade – as datas de vencimento marcam dezembro e janeiro como limite para que sejam utilizados. De acordo com a reportagem do jornal Estado de S.Paulo, o prejuízo pode chegar a R$ 290 milhões. Nem o governo federal nem os estados e municípios assumiram a responsabilidade pela falha de gestão.

“Os testes RT-PCR são altamente sensíveis e são muito difíceis de serem realizados. Tem laboratórios específicos que fazem a aplicação. Então eu quero saber quem comprou e como planejou distribuir isso”, demanda o deputado Dr. Luiz Antônio Teixeira Júnior, presidente da comissão.

Segundo o parlamentar, é preciso cautela antes de apontar culpados já que faltam informações cruciais para entender o que aconteceu. “Quero saber se a compra foi na gestão do Mandetta, do Teich ou do Pazuello. O problema também é quem recebeu isso com vencimento menor do que seis meses. Isso não se faz na administração pública”, pontua.