Foto: Pedro França/ Agência Senado/JC

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, destacou na segunda-feira (5) a retomada do diálogo entre o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e o ministro da Economia, Paulo Guedes, para construir uma agenda republicana. Davi participou de jantar com os dois na casa do ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Bruno Dantas, organizado justamente para tentar reaproximar Maia e Guedes. Segundo o presidente do Senado, a reunião marca um novo início dessa relação.

— Cada ator tem as suas responsabilidades perante a sociedade brasileira nessa relação de harmonia e comprometimento com causas, com a sensibilidade de compreender a importância do diálogo, da construção de pontes nessa relação institucional. Essa reunião marca um novo iniciar dessa relação, com franqueza, com honestidade, sempre dialogando para construir consenso — disse Davi

Após o encontro, Rodrigo Maia pediu união para retomar a votação da agenda de reformas e afirmou que vai dar urgência à regulamentação do teto de gastos públicos.

— A situação fiscal do Brasil hoje requer união, diálogo e equilíbrio. Sem as reformas, o país entrará numa crise econômica muito grave. A regulamentação do teto de gastos é a nossa principal urgência, além da reforma tributária e da reforma administrativa encaminhada pelo governo — disse.

O ministro Paulo Guedes agradeceu ao presidente da Câmara e afirmou que pedia desculpas por qualquer desconforto. “Do meu lado, nunca houve diferenças pessoais. Os interesses do Brasil estão acima de qualquer divergência”, destacou.

— A pandemia atrasou a nossa pauta. Mas o Congresso trabalhou o tempo inteiro durante a crise — disse Guedes.

Segundo o ministro, para garantir a retomada, o governo deve enviar ao Congresso mais propostas.

— Vamos ter de aterrissar o programa de auxílio emergencial em um Renda Brasil robusto que atenda os 40 milhões de brasileiros invisíveis em programas de assistência social. Precisamos pensar em criar programas de emprego em massa, reduzindo os custos da folha de pagamento. Há uma pauta no Congresso com gás natural, saneamento, cabotagem, setor elétrico — afirmou.

Por sua conta em uma rede social, a senadora Kátia Abreu (PP-TO) elogiou a conciliação e apontou que Câmara, Senado, Executivo e TCU estão unidos:

“Reunião muito produtiva. Rodrigo Maia e Paulo Guedes demonstraram humildade e espírito público. A agenda do país é maior do que diferenças pessoais ou de grupos: reformas tributária, administrativa e Renda Cidadã sem furar teto. Responsabilidade fiscal inegociável. Reunião de grande significado em favor do Brasil: Câmara, Senado, Executivo e TCU. A agenda é a mesma. Temos ideias diferentes quanto à forma, mas de fácil superação porque os princípios são convergentes”, destacou.

Fonte: Agência Senado