A maioria da população de Genebra, na Suíça, é favorável a um projeto de lei que implementa um salário mínimo de mais de R$ 23 mil. 58% dos cidadãos entrevistados votou a favor do projeto que determina o pagamento de 23 francos (R$ 141) por hora, que tem os sindicatos locais apoiando a sua implementação diante da situação de mais de 30 mil pessoas afetadas financeiramente pela pandemia do novo Coronavírus e do elevado custo de vida na cidade (um dos mais caros do mundo).

Os setores mais afetados pela pandemia foram hotelaria, restauração, limpeza, economia doméstica, cabelereiro, estética e vendas em varejo.

O Conselho de Estado votou contra o valor do novo salário mínimo e, segundo Mauro Poggia, chefe do departamento de emprego, discutir sua implementação não será fácil.

Essa é a terceira vez que a população de Genebra se manifesta publicamente sobre a implementação de um salário mínimo – nas duas vezes anteriores, em 2011 e em 2014, a ideia havia sido rejeitada, mas a crise da economia e da saúde fez os cidadãos repensarem.