Foto: Alan Santos/PR

O presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) pediu, em discurso na Câmara dos Vereadores de Eldorado (SP), a governadores e prefeitos para abrirem em definitivo o comércio no país, apesar do ainda crescente número diário de novos casos e de óbitos causados pela pandemia do novo Coronavírus.

“O Supremo Tribunal me tirou essa possibilidade nessa área”, disse Bolsonaro sobre o seu pedido, além de citar seu descrédito na Organização Mundial da Saúde (OMS) e seu diretor-geral, Tedros Adhanom.

Além disso, citou a diminuição do pagamento do auxílio emergencial de R$ 600 para R$ 300 e se justificou dizendo que o Brasil não podia continuar a se endividar com esse gasto de R$ 50 bilhões mensais.