Foto: Alan Santos/PR

Governo estuda reduzir o valor durante a prorrogação

Após a fala do Presidente da Câmara, Rodrigo Maia, de que o Auxílio Emergencial poderia ser estendido até dezembro, o presidente Jair Bolsonaro se pronunciou para dizer que o governo realmente prepara uma prorrogação. O valor, segundo o que disse Bolsonaro, deve ser menor do que os R$ 600 pagos atualmente, mas superior aos R$ 200 que vinham sido cogitados pela Economia.

“Dá para chegar num meio-termo e nós buscarmos que ele venha a ser prorrogado por mais alguns meses, talvez até o final do ano, de modo que nós consigamos sair dessa situação fazendo com que os empregos formais e informais voltem à normalidade”, declarou.

Saiba mais:

Ontem (18), Maia havia falado que esperava o posicionamento do governo sobre a possível prorrogação do auxílio para que o assunto pudesse ser discutido, mas defendeu seria “muito difícil” manter o valor em R$ 600. “Se nós inviabilizarmos as contas públicas, vai aumentar a inflação e vai reduzir os investimentos. Aí quem vai pagar a conta vão ser os próprios beneficiários dos R$ 600”, analisou. Ele também avaliou que uma prorrogação iria requerer cortes de despesas. “Governo quer acabar com o seguro-defesa, o abono salarial, cortar os recursos do sistema S. O governo tem base para fazer isso? Isso é que precisa avaliar primeiro”.