Foto: Divulgação/Ascom

No último dia 29, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou o relatório “Competitividade Brasil 2019-2020”, que compara o Brasil a economias de características similares. Ao todo, são 18 países e 61 variáveis avaliadas. O ranking classificou o Brasil como penúltimo, ficando à frente apenas da Argentina. Coreia do Sul, Canadá e Austrália aparecem, respectivamente, na primeira, segunda e terceira posição. O ranking, realizado desde 2010, está na sétima edição e em todas as publicações o Brasil esteve na penúltima posição.

Entre os fatores avaliados, a CNI leva em conta o trabalho (disponibilidade e custo da mão de obra), o financiamento (disponibilidade de capital e desempenho do sistema financeiro) e a tributação (peso e qualidade). Apesar da baixa posição no ranking geral, o mapeamento mostra o Brasil com boa colocação em tecnologia e inovação (8ª lugar), trabalho (9ª posição) e estrutura produtiva (12º lugar). Entretanto, o país teve um destaque negativo em financiamento e em tributação.

Ainda segundo a CNI, o Brasil apresenta a mais alta taxa de juros real de curto prazo (8,8%) e o maior spread da taxa de juros (32,2%). Esses dois fatores ajudam a explicar o elevado custo de financiamento. O levantamento também aponta a carga tributária brasileira como uma das mais elevadas em relação ao lucro obtido pelas empresas.