Divulgação/Receita Federal

De acordo com Receita Federal, o resultado negativo decorre da redução da atividade econômica durante a pandemia e redução de impostos

Em junho deste ano, a arrecadação de tributos federais teve o pior resultado para o mês em 16 anos. A arrecadação foi de R$ 86,2 bilhões, uma queda de 29,59% em comparação com o mesmo mês de 2019.

No acumulado do ano, o Fisco já arrecadou R$ 665,9 bilhões, redução de 14,71% em relação ao ano passado. O resultado é o pior desde 2009.

Os dados foram divulgados pela Receita Federal. Segundo o órgão, pesou na arrecadação a redução a zero do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) sobre o crédito. A medida foi criada no início de abril, como forma de facilitar o acesso ao crédito a pessoas físicas e empresas atingidas pela pandemia do novo coronavírus. Antes, era cobrada uma alíquota de 3% sobre o valor total das operações de crédito, mais 0,38% ao ano. No começo de julho, a medida foi prorrogada até outubro. A estimativa do governo é que, com o imposto zerado, deixe de arrecadar R$ 14,1 bilhões neste ano.

O ritmo mais lento da economia também levou à menor arrecadação. A produção da indústria em junho foi 23,83% menor do que o mesmo mês de 2019. Os serviços caíram em 19,50%, e a atividade comercial em 14,90%. O valor das importações teve queda de 28,72%. A redução das atividades no mês levou a uma queda de R$ 20,417 bilhões na arrecadação. Só com o Simples Nacional e Microempreendedor Individual (MEI), foram R$ 7,639 bilhões em tributos a menos neste ano.