Foto: Ueslei Marcelino/REUTERS

A pesquisa DataPoder360 divulgada hoje (23) aponta que a avaliação negativa do governo Jair Bolsonaro caiu três pontos percentuais (46% para 43%) em relação ao levantamento anterior, realizado em 8 de julho. Se comparado com o final de junho, a redução da desaprovação é ainda maior: cinco pontos (48% para 43%). A avaliação positiva (ótimo/bom), por sua vez, ficou estável em 30%. Na sondagem anterior o percentual era de 29%. E o índice regular subiu três pontos (20% para 23%).

Segundo a sondagem, Bolsonaro é apoiado majoritariamente por homens (34%), moradores da região Centro-Oeste (36%), os que possuem só o ensino fundamental (35%) e desempregados e sem renda fixa (33%).

Por outro lado, a desaprovação do presidente se concentra entre as mulheres (47%), moradores do Sudeste (50%), pessoas com ensino superior (62%) e os que recebem mais de 10 salários mínimos (60%).

A nova pesquisa DataPoder360, assim como as demais sondagens que vem sendo divulgadas, mostram o impacto positivo que o auxílio emergencial vem provocando sobre a popularidade de Bolsonaro.

Embora o auxílio não tenha aumentado a avaliação positiva do governo, a ajuda de R$ 600,00 está reduzindo a desaprovação do presidente.

O resultado da sondagem também mostra a mudança na base social de apoio do presidente, hoje mais concentrada em segmentos de menor renda e escolaridade.

De acordo com o DataPoder360, hoje, 46% dos brasileiros desaprovam o governo Jair Bolsonaro enquanto 43% aprovam. Em relação à pesquisa anterior, a desaprovação oscilou negativamente um ponto (47% para 46%) enquanto a aprovação subiu três pontos (40% para 43%).

Considerando que a margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos, temos praticamente um quadro de empate técnico, o que é positivo para Bolsonaro dada a gravidade da crise sanitária e econômica que seu governo atravessa nos últimos meses.