Foto: Rodolfo Buhrer/Reuters

O ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT) foi absolvido nesta segunda-feira (20) em decisão unânime de desembargadores da 7ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) a respeito de uma ação de improbidade administrativa por acusação de caixa 2.

A Promotoria tinha a colaboração premiada do empreiteiro Ricardo Pessoa, que foi delator na Operação Lava Jato. Segundo Pessoa, ele havia pago dívidas de campanhas do PT no valor de R$ 2,6 milhões, em 2012, com uma gráfica. Ele afirmou que o pedido veio do ex-tesoureiro do partido, João Vaccari Neto.

O juiz Thiago Baldani Gomes de Filippo, da 8ª Vara da Fazenda de São Paulo, considerou em 2019 que Haddad não era prefeito na época dos fatos relatados e que não foi comprovado nenhum benefício obtido pela empresa ou pelo delator durante a gestão do ex-prefeito. O MP recorreu à essa decisão de primeira instância, mas o desembargador Coimbra Schmidt compreendeu que não há caminho probatório para reavaliar o caso. O processo será arquivado.