Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Após o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, ter afirmado que o “Exército está se associando a esse genocídio”, o presidente da Corte, Dias Toffoli, tentou reduzir a tensão do Judiciário com as Forças Armadas.

Mendes se referiu às medidas de combate ao novo coronavírus adotadas pelo Ministério da Saúde, que atualmente é liderado interinamente pelo general Eduardo Pazuello. Toffoli disse aos ministros da Defesa, Fernando Azevedo, e da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, que a declaração não tinha caráter institucional.

Em nota de repúdio, o ministro da Defesa e os comandantes das Três Forças, Edson Pujol (Exército), Ilques Barbosa (Marinha) e Antonio Carlos Moretti (Aeronáutica) afirmaram que “Trata-se de uma acusação grave, além de infundada, irresponsável e sobretudo leviana. O ataque gratuito a instituições de Estado não fortalece a Democracia”.