Foto: Najara Araujo/Câmara dos Deputados

Em entrevista concedida ao jornal Valor Econômico, o líder do PP na Câmara, deputado Arthur Lira (AL), um dos expoentes do centrão, se posicionou contrário ao relaxamento do teto de gastos.

Segundo Lira, hoje a preocupação do Congresso é com a retomada da economia e como viabilizar uma “continuidade” do auxílio emergencial com um valor em torno de R$ 300.

Arthur Lira avaliou que a ideia do ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre transações e pagamentos teria chance de prosperar se tiver uma alíquota baixa, limite de isenção e for direcionada para bancar o auxílio emergencial.

O deputado do PP se mostrou favorável às agendas de privatizações e apontou que a venda de Eletrobas depende de o governo se entender antes com o Senado e a Câmara.

Líder do bloco que reúne mais de 200 deputados, a entrevista de Arthur Lira sugere um ambiente favorável a agenda econômica no período pós-pandemia.

Além do relacionamento do governo com o Congresso ter melhorado, e agora o Palácio do Planalto conte com uma base de apoio no Parlamento, a necessidade de reformas diante do cenário econômico de dificuldades jogam a favor da agenda defendida pelo Ministério da Economia. Além disso, a Câmara tem um perfil reformista, tendo realizados reformas estruturais nos últimos anos.