Foto: Adriano Machado/Reuters

Segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV), o Indicador Antecedente de Emprego (IAEmp) subiu 14 pontos em junho, recuperando 33% das perdas no bimestre maio-junho.

O Indicador Coincidente de Desemprego (ICD), por sua vez, caiu 2,2 pontos em junho, após avançar 7,7 pontos de março a maio.

A melhora desses indicadores sugerem uma diminuição do pessimismo sobre o mercado de trabalho nos próximos meses.
De acordo com a FGV, o pior momento parece ter ficado para trás.

Mantendo a tendência de melhora no mercado de trabalho nos próximos meses, o presidente Jair Bolsonaro poderá consolidar sua nova base social de apoio, concentrada nos setores economicamente mais fragilizados, e que são impactados em seu dia-a-dia pelas oscilações da economia.

Além da possível melhora do ambiente de emprego, a criação do Renda Brasil, programa de renda básica que será criado pelo Ministério da Economia, tende a fidelizar ainda mais esse público ao presidente.