Divulgação EBC

A disputa presidencial nos Estados Unidos tem tido reviravoltas imprescindíveis nos últimos tempos. A crise pandêmica e econômica já custou a vida de 130 mil americanos e mais de 30 milhões de empregos, o que reduziu a popularidade do atual presidente Donald Trump e diminuiu suas chances de reeleição.

O candidado democrata, Joe Biden, segundo a revista britânica The Economist, tem 90% de chances de ganhar no colégio eleitoral. No entanto, vale ressaltar que devido ao sistema de votação americano, Trump ainda tem chances de vencer. Em 2016, Trump perdeu por cerca de 3 milhões de votos no voto popular e mesmo assim saiu vencedor, por conta do colégio eleitoral.

O resultado das eleições norte-americanas terá um forte impacto no Brasil, já que nos últimos 18 meses, o governo de Jair Bolsonaro tem tentado se aproximar ao governo de Trump. O vice-presidente executivo da Câmara Americana de Comércio (Amcham) no Brasil, afirmou que, caso Biden vença, “a agenda do meio ambiente, direitos humanos e direitos trabalhistas que não está na mesa hoje na relação dos dois presidentes deve ser incorporada às discussões bilaterais”.