Foto: Divulgação/CNJ

Em inquérito conduzido pelo TRF da 3ª região, a PF prendeu nesta terça-feira, 30, o juiz Leonardo Safi de Melo, da 21ª vara Federal Cível de São Paulo. A prisão se deu no âmbito de investigação, intitulada como operação Westminster, que apura vantagens indevidas para expedição de precatórios.

O secretário Divannir Ribeiro Barile e advogados Tadeu Rodrigues Jordan e Sérgio Santos também são alvos das investigações.

A diligência foi acompanhada pelo diretor do foro da SJ/SP, juiz Federal Márcio Ferro Catapani. A PF cumpriu 20 mandados de busca e apreensão, distribuídos em São Paulo e Brasília, que envolvem a suposta participação de advogados, servidores públicos e magistrado em eventos criminosos.

Em um dos casos analisados, há suspeita de que a organização criminosa teria solicitado vantagens indevidas para expedir um precatório no valor de R$ 700 milhões. O grupo criminoso cobraria então 1% do valor.

Segundo informou o TRF-3, o inquérito tramita em segredo de Justiça.

Nota pública

A Ajufe – Associação dos Juízes Federais do Brasil e a Ajufesp – Associação dos Juízes Federais de São Paulo e Mato Grosso do Sul emitiram nota a respeito da prisão. As entidades defendem a rigorosa apuração dos fatos, com a devida observância aos postulados constitucionais do devido processo legal e da ampla defesa, com a devida punição dos responsáveis.

Fonte: Migalhas