Foto: Sérgio Lima/Poder360

O caso do foro privilegiado do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), tende a ser levado para a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF), de acordo com o ministro Gilmar Mendes. A votação ficará para agosto, quando o Judiciário retorna do recesso.

Gilmar Mendes foi escolhido como relator do recurso do Ministério Público contra a decisão do TJ-RJ que autorizou foro privilegiado à Flávio Bolsonaro. Flávio é investigado por suspeita de envolvimento no esquema da “rachadinha” na época em que foi deputado estadual pelo RJ.

O ministro solicitou uma posição do TJ-RJ e da Procuradoria-Geral da República. O MP afirma que as diligências que resultaram na prisão de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio, preso na operação anjo, pode trazer novas revelações sobre o tema, ainda mais porque Queiroz negocia um acordo de delação premiada.